5 Desafios do Feedback Construtivo e como Superá-los

5 Desafios do Feedback Construtivo e como Superá-los

5 Desafios do Feedback Construtivo e como Superá-los

July 18, 2017

|

Mateus Halbe

O Feedback, que é parte fundamental da comunicação pessoal e corporativa, consiste em alguém fornecer um parecer sobre o trabalho realizado por outra pessoa, instituição, setor da empresa e assim por diante.

Simplificadamente, é alguém expor o que achou do trabalho e/ou desempenho de outra pessoa ou entidade. Porém, por questões naturais das relações humanas, muitas vezes os feedbacks não são muito bem recebidos, sendo entendidos como críticas negativas; por vezes, a pessoa não difere o feedback institucional, que visa o bem do membro e da equipe de trabalho, da agressão pessoal.

Desafio de o emissor conseguir dar o feedback com o propósito certo

Antes de dar um feedback, você deve se perguntar: “por que estou dando esse feedback?”. Se a resposta tiver “você” como a principal parte interessada, como “porque eu não gostei [de algo que a pessoa fez/faz]”, então esse feedback deve ser repensado. Somente quando a resposta tiver o outro como a principal parte interessada, e o objetivo for dar uma sugestão de melhora para ajudar no desenvolvimento daquela pessoa (ou no projeto da pessoa), então esse feedback deve ser dado. Com isso, o objetivo de melhorar a empresa e o time como um todo será também atingido.

Desafio de o emissor acertar o momento certo

O Emissor tem que ser muito cauteloso. Especialmente se ele tem uma posição de liderança na empresa/organização, é fundamental conhecer a regra “Elogie em público, e corrija em particular”. Elogiar em público, ou seja, dar feedback positivo na frente de outras pessoas é uma ótima forma de reconhecer os membros da equipe e promover a união e o apreço mútuo entre os membros. Como regra geral, as críticas construtivas não devem ser feitas na frente dos outros. Elas nunca devem ser dadas em momentos de alto stress ou usadas como argumento em discussões. Esse tipo de manifestação não gera frutos positivos na relação entre as pessoas.

Desafio de o emissor acertar nas palavras e no ritmo de conversa

O “Feedback Sanduíche”, que é introduzir na conversa elogios verdadeiros misturados com críticas construtivas, é uma estratégia muito apreciada por diversas pessoas, e funciona em variadas situações, amenizando o impacto.

Existem técnicas de feedback que são bastante utilizadas em equipes de alta performance e que podem gerar mais conexão no time. Uma delas é utilizar o ciclo “Gostei-Gostaria-E se-Dúvida”:

1. Inicia-se dizendo o que você reparou de bom no trabalho da pessoa, a partir da palavra “gostei” (exemplo: gostei da sua rapidez em fazer esse relatório);

2. Depois, emprega-se a palavra “gostaria” para expor algo que você acha que poderia ter sido um pouco diferente (exemplo: gostaria que tivesse um pouco mais de informações relacionadas aos procedimentos);

3. Posteriormente, sugere-se como essa ou outra melhora poderia ser feita com “e se” (e se você adicionasse mais informações sobre o procedimento de instalação?); e

4. Por último, faça perguntas de dúvidas que porventura permaneçam, sem colocar elementos confrontadores como em “por que você sempre se esquece de colocar essas informações?”.

Todavia, algumas pessoas preferem dar e receber feedbacks mais diretos.

Desafio de o receptor compreender o propósito positivo

Agradeça por a pessoa estar expondo a percepção dela sobre seu desempenho, pois outros podem ter percebido a mesma coisa e ficado calados. Muitas vezes, o feedback pode nos dar novos caminhos para fazermos melhor uma coisa sobre a qual não estávamos anteriormente atentos à possibilidade de mudança.

Receptor não contestar

Finalmente, é fundamental compreender uma das boas práticas mais essenciais do feedback: “feedback é para escutar”. Quaisquer respostas devem ser muito ponderadas. Se o comentário do emissor seguir as características anteriormente mencionadas, mesmo que você discorde do que a pessoa disse, escutar passivamente e tentar compreender o porquê de ela ter tido aquela percepção é a chave para deixar o ambiente propício a feedbacks e para manter a atmosfera de melhora constante.

Ambiente 100% e Performance 100%

Com essas estratégias para dar um retorno sobre outra pessoa (ou sobre um projeto dela), atingimos um estágio de equilíbrio entre um bom clima organizacional e a essencial agilidade nas mudanças, proveniente de uma cultura saudável de feedbacks na empresa.

Sobre o autor

Grupo Gestão

Acreditamos na força do empreendedorismo. Dessa forma, buscamos fazer a diferença em nossa sociedade através de consultorias inovadoras, com o objetivo de alcançar melhores resultados para o seu tipo de negócio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem somos

Parte do Movimento Empresa Júnior, o Grupo Gestão é uma organização sem fins lucrativos, formada por alunos da Universidade de Brasília, com o propósito de impactar a sociedade através de uma consultoria empresarial inovadora.

BAIXE AQUI