Pessoa jurídica também deve investir

Pessoa jurídica também deve investir
Muitas pessoas investem seu dinheiro pessoal. Mas será que sabem que isso também pode ser feito com o patrimônio da sua empresa?

Utilizar recursos financeiros para aumentar seu capital por meio de investimentos é essencial, visto que a desvalorização da moeda, a longo prazo, faz com que seu patrimônio acumulado diminua. O que muitos empreendedores não sabem é que esta estratégia também pode ser utilizada no meio empresarial. Sim, é possível investir o capital que sobra dos lucros da sua empresa e ter uma rentabilidade, fazendo com que seu patrimônio aumente gradativamente.

Os primeiros passos a seguir são:
  • Entrar em contato com uma corretora, existem várias no mercado;
  • Separar a documentação necessária, como a DRE, Balanço Patrimonial e faturamento dos últimos 12 meses;
  • Realizar um depósito para a nova conta corrente;
  • Por último, traçar um planejamento estratégico que, caso seja seguido corretamente, trará ótimos resultados.

É importante ter um conhecimento mais aprofundado no assunto para não cometer grandes erros logo de cara no ramo dos investimentos. E seguindo esses passos iniciais, só resta a escolha dos ativos. Na plataforma da sua corretora, diversos produtos serão oferecidos a você investidor e eles são classificados em níveis de risco que a sua empresa estará exposta. Uma separação macro seria entre ativos de Renda Fixa e de Renda Variável.

Renda Fixa

São separados em diversos produtos e na sua maioria são empréstimos para outras instituições financeiras. A segurança dos títulos de renda fixa são úteis para projetos de curto e médio prazo. Os produtos mais utilizados dessa categoria são:

  • CDB: o investidor realiza um “empréstimo” para instituições financeiras e em troca recebe o dinheiro corrigido com juros.
  • LCA e LCI: traduz-se em um “empréstimo” para pessoas do agronegócio ou afim de financiar um imóvel, respectivamente.
  • Fundos de Investimento: fundos onde empresas irão tomar conta do seu capital em troca da rentabilidade deste.

Renda Variável

Empresas também podem participar da Bolsa de Valores como compradoras de Ações, igual uma pessoa física faria. Por terem uma rentabilidade variável, apresentam um risco mais elevado, mas são capazes de alimentar grandes projetos. No momento do cadastro com a corretora, será decidido qual dos sócios da Pessoa Jurídica será aquele que emitirá as ordens. Caso os gestores decidam mudar o sócio emissor, deverão fazer uma procuração junto a corretora. Basicamente existem dois meios de prosperar no mercado de ações, são eles:

  • Trades: operações de compra e venda de um ativo visando a sua maior valorização em um determinado intervalo de tempo;
  • Proventos: distribuição de parcelas dos lucros gerados por empresas as quais você é acionista de acordo com a sua posição (nº de papéis) na empresa em questão.

Falando um pouco a respeito dos riscos, uma tática inteligente, principalmente para empresas, é diversificar os investimentos. Os especialistas chamam essa tática de pulverizar risco. Além de criar um cenário em que as chances de perder seu investimento diminuem, você pode alterar os prazos para que eles atendam melhor as suas necessidades. Aplique parte do capital em investimentos de maior liquidez – ou seja, que podem ser convertidos em dinheiro com maior facilidade – para um possível contratempo e outra parte em títulos de longo e médio prazo. Assim, sua rentabilidade poderá, inclusive, ser maior do que aplicando todo o recurso em apenas um lance.

Por último, tenha um acompanhamento frequente de seus investimentos em Renda Variável, pois é importante estar atento às alterações do mercado e se atenha ao seu planejamento inicial. Caso um de seus investimentos não esteja mais atendendo suas expectativas, pode ser o momento de mudar de aplicação.

Agora que você está ciente das diversas maneiras de fazer investimentos financeiros com sua empresa, lembre-se de que, antes de tomar qualquer decisão, é importante avaliar seu planejamento para minimizar equívocos e escapar das armadilhas do mercado.

João Gabriel Mendes

Estudante de Engenharia de Produção e consultor do Grupo Gestão. Ama esportes e está iniciando sua carreira como investidor.

 

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem somos

Parte do Movimento Empresa Júnior, o Grupo Gestão é uma organização sem fins lucrativos, formada por alunos da Universidade de Brasília, com o propósito de impactar a sociedade através de uma consultoria empresarial inovadora.

BAIXE AQUI