Planejamento Financeiro: Como Aplicá-lo em sua Empresa?

Planejamento Financeiro: Como Aplicá-lo em sua Empresa?

Planejar é um fator essencial para qualquer empreendimento que almeja alcançar o sucesso a médio e longo prazo.

O planejamento permite que sejam traçadas estratégias de desenvolvimento e metas que o negócio deseja alcançar, reduzindo-se os riscos. Desta forma, planejar financeiramente sua empresa possui papel de destaque no desenvolvimento, monitoramento e sucesso de seu negócio.

O Planejamento Financeiro tem como objetivo principal determinar os principais recursos monetários da organização de forma a aproveitá-los da melhor maneira possível. Deste modo, permite uma visualização macro da situação econômica da empresa, levando em conta todas as suas fontes de receita, despesa e até mesmo investimentos, possibilitando projeções e análises de suas finanças ao longo do tempo.

A seguir, demonstraremos as principais etapas de um planejamento financeiro e de
que maneira elas podem auxiliar seu empreendimento.

1. Plano de Contas

O plano de contas é a etapa inicial de um planejamento financeiro, e por isso, é considerado a base de toda sua estrutura. Por meio dele é possível categorizar todas as entradas e saídas monetárias de sua empresa, de maneira que todas as operações podem ser especificadas. Desta forma, o plano de
contas tem como objetivo principal o detalhamento de toda a estrutura financeira de um negócio a fim de mantê-lo ordenado e estruturado.

De modo geral, ele é dividido em quatro grandes categorias:

– Receitas: Todas as fontes de entrada, geralmente refere-se a todos os
recursos advindos da comercialização e venda de produtos de seu negócio.

– Gastos operacionais variáveis: correspondem às saídas da empresa que estão
intimamente ligadas à produção, ou seja, aumentando-se a produção,
consequentemente aumentam-se os gastos variáveis, como é o caso dos
insumos e dos impostos.

– Gastos operacionais fixos: São os gastos que ocorrem todos os meses
independentemente da produção da empresa, como os aluguéis e folhas
salariais.

– Gastos não operacionais e investimentos: São os gastos ligados às saídas
excepcionais que não estão relacionados diretamente à operação da empresa.

Correspondem também aos investimentos para aquisição de novos equipamentos, por exemplo.

2. Premissas

São todos os fatores tomados como verdade no decorrer do planejamento, ou seja, é tudo aquilo que servirá como referência para as projeções e análises do plano financeiro, podendo ser as taxas de juros, a média mensal de demanda, o preço de itens e insumos, as taxas de
crescimento, que podem ser dividas em cenários: pessimista, realista e otimista, possibilitando projeções ao longo dos anos levando em conta diferentes realidades.

Todas essas informações podem ser adquiridas por meio de pesquisas ou a partir de dados que a empresa já possua em seu histórico.

3. Análises

A partir de todos os dados coletados e utilizados como base no plano de contas e nas premissas, é possível então a realização de análises da sua empresa. Existem diversos tipos de análises financeiras que podem ser realizadas. Vale ressaltar que, para que seja mais assertiva, é de extrema importância que a empresa possua dados históricos ou boas estimativas.

Assim sendo, é possível estimar os Fluxos de Caixa, o Valor Presente Líquido, o Payback, em casos de empresas que realizaram um investimento, entre outros.

– Fluxos de Caixa: É a movimentação financeira, diz respeito às entradas menos
às saídas, geralmente registradas mensalmente. De modo mais específico, são
todas as receitas advindas da venda do produto ou serviço da empresa,
posteriormente descontados os impostos, e por fim, todos os gastos mensais.

 

Portanto, ao realizar um planejamento financeiro com uma boa base de dados, é possível estimar o fluxo de caixa para os meses subsequentes, possibilitando uma visão à longo prazo da situação em que a empresa está inserida, seja um cenário de lucro ou prejuízo. Além disso, inserindo-se os cenários determinados nas premissas, pode-se obter uma análise por visões pessimistas, realistas ou otimistas.

-Valor Presente Líquido: Considera o valor do dinheiro no tempo, ou seja,
permite trazer os fluxos de caixa para o dia de hoje auxiliando na tomada de
decisão.

-Payback: É uma análise de extrema importância para o empreendedor que
deseja realizar um investimento em sua empresa. Ele indica o tempo necessário
para o lucro acumulado gerado igualar o investimento inicial. Ou seja,
demonstra em unidades temporais o período necessário para se recuperar o
investimento. O payback é bastante utilizado para empresas que ainda irão
abrir a fim de se analisar a viabilidade do negócio.

Conclusão

A partir de uma base de dados sólida é possível realizar estas e outras análises a fim de complementar o plano financeiro de sua empresa. Assim sendo, realizar um planejamento financeiro é essencial para o conhecimento da estrutura econômica interna de seu negócio, bem como no auxílio para tomada de decisões, tendo em vista que possibilita a realização projeções das finanças
ao longo de determinado período, considerando premissas e cenários distintos

Sobre o autor

Grupo Gestão

Acreditamos na força do empreendedorismo. Dessa forma, buscamos fazer a diferença em nossa sociedade através de consultorias inovadoras, com o objetivo de alcançar melhores resultados para o seu tipo de negócio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem somos

Parte do Movimento Empresa Júnior, o Grupo Gestão é uma organização sem fins lucrativos, formada por alunos da Universidade de Brasília, com o propósito de impactar a sociedade através de uma consultoria empresarial inovadora.

BAIXE AQUI